rss
11/06/2013 | em Tamanho do texto: A-A+
História do Município

ORIGEM

 

João Alfredo originou-se de uma fazenda instalada na localidade do Imbé, nos meados do século XVIII, pelo capitão português Antônio Barbosa da Silva. Anos depois, em virtude da escassez d’água naquela região, o colonizador resolveu transferir a sede da propriedade para  o local onde se situa atualmente a nossa cidade, aproveitando o manancial hídrico de uma lagoa existente onde hoje está sendo construído o Ginásio Poliesportivo Djair Santos.

Em 1779 as famílias Holanda Cavalcanti e Alves do Rêgo adquiriram a posse da propriedade e passaram a chamá-la de “Boa Vista”. Em 1785 construíram um pequeno engenho de tração animal, ao qual deram o mesmo nome da fazenda. Em 1820  a propriedade foi vendida ao Sr. Francisco Antônio, chefe político do Curato de Bom Jardim, que, em 1850 passou o comando para o Sr. João Felipe de Melo, também bonjardinense. Em 1877, com o falecimento do Sr. João Felipe de Melo, o engenho foi adquirido pelo capitão José Francisco Cordeiro de Arruda.

Em 1879 o coronel José Ferreira da Silva, que também era proprietário do Engenho Melancia, adquiriu o engenho Boa Vista, empreendendo grandes benfeitorias no mesmo, transformando a área circunvizinha em um pequeno aglomerado residencial. Em 1900 obteve da municipalidade de Bom Jardim uma licença para a promoção de uma feira-livre semanal e iniciou a construção de uma capela em devoção à Nossa Senhora da Conceição. A primeira feira-livre foi realizada no dia 06 de janeiro de 1901 e a capela foi inaugurada no dia 18 de junho do mesmo ano, com Missa solene celebrada pelo padre João Pacífico Ferreira Freire.

 

EVOLUÇÃO

 

Em 1902 mais casas foram construídas e apareceram os primeiros estabelecimentos comerciais. No ano de 1906 foi criada a Sub-Delegacia de Polícia, sendo designado como titular o Sr. José Soares Cordeiro. Em 1909 o engenho e as casas a ele aglomeradas foram considerados oficialmente como Povoado, recebendo o nome de “Boa Vista da Conceição”. Em 1912 foi fundada a primeira escola municipal, sendo indicada a professora Joana Nóbrega de Vasconcelos. Em 1922 foi criada a primeira escola estadual, a cargo da professora Maria Alves Machado. Em 1924 foi nomeada a professora Maria Amélia Cavalcanti, para também atuar na escola estadual.

A agência Postal foi inaugurada no dia 26 de abril de 1926, com o nome de “Santa Luzia”, em virtude de já haver outra localidade no Estado com o nome de “Boa Vista”. O primeiro agente postal foi a Sra. Maria Pereira de Moura. Através da Lei nº 1.944, de 19 de setembro de 1928, o Povoado de Santa Luzia passou a se chamar de “João Alfredo”, por determinação do então governador do Estado, Dr. Estácio Coimbra. No dia 27 de março de 1931, através do ato nº 43, o tenente Alfredo Agostinho, prefeito de Bom Jardim, elevou o Povoado à categoria de Vila e criou o Distrito Judiciário, com sede nesta terra. O primeiro Juiz de Paz foi o Sr. José Procópio Cavalcanti e o oficial do registro civil o Sr. Manoel Ferreira Campos.

Por efeito da Lei Estadual nº 23, de 10 de outubro de 1935, foi criado o Município de João Alfredo, sendo oficialmente instalado no dia 21 de outubro do mesmo ano. Dentre as figuras que mais batalharam para a nossa emancipação política, destacaram-se : o deputado estadual Dr .Arsênio Meira de Vasconcellos, Dr. Ângelo de Souza, Dr. Costa Pinto, Dr. Mário Melo, Dr. Antônio Raposo e o Dr. Álvaro Lins e Silva. O major Pedro Olímpio de Vasconcelos Maia foi nomeado interventor do novo Município.

 

 

INTERVENTORES E PREFEITOS

 

Interventores:

  • PEDRO  OLÍMPIO  DE  VASCONCELOS  MAIA   (1935 a 1937);
  • SEVERINO ADRIÃO GOMES DA SILVA   (1937 a 1944);
  • FRANCISCO  FARIAS  (1944);
  • JOSÉ PONTUAL  PEREIRA  DE  OLIVEIRA  (1944 a 1947);
  • JOÃO  PEREIRA  DE  MOURA (1947).

 

Prefeitos :

 

  • ELOY  PIRES  DE  ANDRADE  LIMA (1947 a 1951);
  • JOAQUIM GOMES  CAVALCANTI (1951 a 1955);
  • CLÓVIS  JATOBÁ  DA  COSTA  LIMA (1955 a 1959);
  • JOSÉ  FERREIRA  DA  SILVA (1959 a 1963);
  • SEVERINO  JOSÉ  CAVALCANTI  FERREIRA (1963 A 1966);
  • JOÃO  FRANCISCO  DE  BARROS  (1966 a 1968);
  • LUIZ PAZ DO NASCIMENTO (1969 a 1972);
  • JOÃO  FRANCISCO  DE  BARROS (1973 a 1976):
  • SEBASTIÃO  MANOEL  DOS  SANTOS (1977 a 1982);
  • SEVERINO  JOSÉ  CAVALCANTI  FERREIRA  JÚNIOR  (1983 a 1988);
  • SEBASTIÃO  MANOEL  DOS  SANTOS  (1989 a 1992);
  • SEVERINO  JOSÉ  CAVALCANTI  FERREIRA  JÚNIOR (1993 a 1996);
  • SEBASTIÃO  MANOEL  DOS  SANTOS  (1997 a 2000);
  • SEBASTIÃO MANOEL DOS SANTOS (2001 a 2004);
  • MARIA SEBASTIANA DA CONCEIÇÃO (2005 a 2008);
  • JOSÉ BATISTA FALCÃO (27/08/2007 a 28/09/2007);
  • SEVERINO JOSÉ CAVALCANTI FERREIRA (2009 a 2012);
  • DIMAS PRAZERES DOS SANTOS (27/07/2009 a 03/09/2009 – 26/07/2011 a 29/08/2011))
  • MARIA SEBASTIANA DA CONCEIÇÃO (2013 a 2016)

 

 

Fonte: Livro “JOÃO ALFREDO, SUA HISTÓRIA E SUA GENTE” – FIAM – Dimas Santos

Fotos: Nações Unidadas




Símbolos da cidade
  • Bandeira do município:
  • Brasão:
  • Hino:

    Letra: Cícero Benedito de Arruda Música: Laurivan da Silva Barros


    Salve terra por Deus abençoada, salve mãe, cujo seio adoramos; o teu céu de estrelas douradas, o teu chão, nosso lar veneramos.


    Estribilho:


    Povo forte, valente, incansável, sangue quente na veia a correr; tens na luta o sonho imensurável, João Alfredo teu lema é vencer.


    Pelo engenho a cana trituraste, transformando-a no açúcar, no mel; no trabalho o valor tu mostraste, da conquista da terra o laurel.


    Teu brasão é de força um engenho, engrenagens de fé, de verdade; mostram bem teu viver, teu empenho, tua luta pela liberdade.


    Verde-louro, pendão da esperança, céu azul, branco véu da pureza; és o símbolo da paz, da bonança, és feliz, és trabalho, és riqueza.


    Os teus filhos te querem, te amam, te adoram com profundo ardor; para o alto o teu nome proclamam: Salve terra o teu nome é amor !